Boletim Fetzer Contabilidade

Despesas Fixas x Despesas Variáveis

Um bom planejamento financeiro é simplesmente vital para qualquer empresa, certo? Pois para que esse planejamento seja feito corretamente, é preciso antes de mais nada compreender como funcionam os gastos e entender as diferenças existentes entre despesas fixas e variáveis, avaliando exatamente como elas influenciam a sobrevivência do negócio. Ambas têm impacto nos preços de seus produtos e em sua margem de lucro.


O que são despesas fixas?
Apesar de o nome sugerir tal associação, as despesas fixas não necessariamente têm valores intocáveis. A principal característica desse gasto é, na verdade, sua periodicidade. Assim, em outras palavras, as contas fixas são aquelas que ocorrem todos os meses, não sendo necessariamente ligadas ao volume de produção ou de vendas.
É muito importante lembrar que esses gastos ocorrem em caso de faturamento ou não. Por isso devem ser considerados em projeções, levando em conta épocas de alta ou de baixa nas vendas, uma vez que as despesas aparecem sempre e devem, de qualquer forma, ser honradas.
Dentro dessa categoria, podemos citar como exemplos as contas de consumo em geral, que têm uma parcela mínima a ser paga — incluindo aí água, energia e telefone — e ainda o salário dos funcionários, o aluguel do imóvel onde o negócio se localiza, os honorários do contador e outros gastos frequentes da empresa.


O que são despesas variáveis?
Despesas variáveis são aqueles gastos que têm relação direta com o negócio da empresa. No caso de uma revendedora de automóveis, por exemplo, podemos citar a comissão dos vendedores, que varia de acordo com as vendas de cada período. Assim, quanto mais carros são vendidos, maior é a gratificação a ser paga.
Outros custos dessa categoria podem ser a matéria-prima em uma indústria e os impostos sobre a quantidade de mercadorias ou serviços negociados. Também podem ser consideradas despesas variáveis os gastos com publicidade e propaganda, que não costumam ser contínuos. Fretes e carretos para a entrega dos produtos também fazem parte desse grupo.


Como fazer a gestão dessas despesas?
Na elaboração do seu planejamento financeiro, você precisa ter em mente a diferença entre esses dois conceitos por um motivo bem simples: facilitar o momento de definir os valores destinados para custear cada tipo de gasto e, se necessário, ajudar a identificar aquelas despesas que podem ser reduzidas ou até mesmo cortadas.
No caso das despesas fixas de uma empresa, o raciocínio, apesar de extremamente importante, é super simples: serão necessários, todos os meses, fundos para cobrir esses gastos, independentemente de épocas de dificuldade ou sem lucratividade. Salários e aluguéis, por exemplo, deverão sempre ser pagos. Por mais que pagar menos aluguel seja possível, é preciso fazer um estudo sobre o impacto da mudança das instalações sobre a produtividade da sua empresa, por exemplo. Viu como essas despesas são difíceis de cortar?
As despesas variáveis, por sua vez, são mais fáceis tanto de gerir como de cortar. É viável procurar matéria-prima mais barata ou ainda encontrar alternativas mais econômicas de entrega para as mercadorias, por exemplo, bastando para isso diminuir o gasto com fretes e carretos ou economizar nas embalagens utilizadas.
Entender quais são suas despesas fixas e variáveis o ajuda a gerenciar melhor seus recursos e a identificar as manobras mais adequadas para cada nova situação do negócio. Nesse caso, fazer um orçamento é a melhor opção.


Um abraço, Equipe Fetzer Contabilidade